implanteO que é Implante dental

O implante dental é uma estrutura de metal (titânio) no formato de um parafuso que substitui a raiz de um dente extraído, este material  é aceito pelo organismo ( biocompatível) e permanecem sem alterações dentro de um meio vivo (bioestável) por tempo indeterminado. 

Ele servirá como um suporte para que a prótese seja instalada por cima, devolvendo ao paciente uma estética e uma condição de mastigar próxima a dos dentes naturais. Pessoas com implantes dentários mastigam utilizando 90% da força que teriam com seus próprios dentes. No entanto, as pessoas que utilizam dentaduras convencionais têm em média somente 20% da força mastigatória de um dente natural.

O índice de sucesso nos tratamentos com implantes dentários varia de 90% a 100%, dependendo das condições locais e gerais de saúde do organismo, da localização do implante, da qualidade e da quantidade do osso onde o implante foi fixado.

A perda de um ou mais dentes leva a uma condição estética desfavorável, além de comprometer todo um equilíbrio que ocorre no sistema mastigatório, que causa problemas de mordida e favorece o aparecimento de outras disfunções.

Logo após a extração dental, o organismo passa a não receber os estímulos mastigatórios necessários para a manutenção do osso naquela região. Mesmo preenchendo os espaços desdentados com próteses convencionais removíveis ou fixas (apoiadas nos dentes vizinhos), gradualmente o osso local passa a perder volume (ou afinar), alterando a expressão facial, envelhecendo as pessoas e podendo vir a excluí-las do mercado competitivo, portanto é fundamental uma rápida reposição do espaço.

A única maneira comprovada cientificamente de interromper essa atrofia por falta de função é com a adaptação de implantes dentários. Com a fixação precoce de um implante, o osso local passa a receber novamente cargas mastigatórias no seu interior e se mantém em volume e densidade, como se estivesse funcionando com dentes naturais.

Dentre todas as alternativas reabilitadoras existentes, o implante, quando indicado em condições adequadas, é a melhor opção para substituir dentes perdidos.

Quem pode se submeter ao tratamento com implante dental

O implante dental pode ser indicado tanto para casos de perda de apenas um dente, vários dentes ou para situações de extração de todos os dentes. São indicados para pessoas de qualquer idade, com exceção dos adolescentes que ainda estão em fase de crescimento. Porém há a necessidade de uma consulta com o dentista para avaliação das condições de saúde geral e oral do paciente.

Vantagens do implante dental

  • Devolve a função da mastigação - O tratamento oferece benefícios ao paciente devolvendo principalmente a função da mastigação e a estética.
  • Não causa adesconforto e instabilidade - Como o implante dental é instalado de maneira definitiva e fixa, não há desconforto causado por problemas de instabilidade de próteses parciais removíveis ou dentaduras.
  • Não-necessidade de desgastar dentes vizinhos -  Também não há necessidade de comprometer os dentes naturais adjacentes, situações muito comuns em pessoas que usam prótese.
  • Melhora a estética, aumentanto a auto estima - A extração de um dente promove um aspecto de envelhecimento com a perda de estrutura óssea e falta de suporte para os lábios e bochechas, o implante dental minimiza esses problemas melhorando a auto estima do paciente.
  • Facilita a higienização

Etapas da colocação do implante dental

O procedimento básico para a colocação do implante dental é realizado em algumas fase:

A primeira delas consiste em realizar uma pequena cirurgia no próprio consultório odontológico sob anestesia local, em que são instalados os implantes de titânio nos locais edentulos.

Em seguida, há um período de cicatrização que dura cerca de 4 a 6 meses para o implante aderir ao osso e assim possibilitar a conclusão do processo. Durante esse período o parafuso do implante fica recoberto por gengiva, permanecendo protegido das forças mastigatórias e resíduos alimentares e osseointegrando-se ao organismo.

Após essa espera, através de uma pequena abertura na gengiva, o implante é exposto na boca e recebe uma tampa de pescoço longo, chamada de cicatrizador. Em poucos dias o especialista em prótese (protesista) irá remover o cicatrizador, sem necessidade de anestesia, e adaptar um pilar metálico para receber a prótese.

O Cliente pode utilizar durante os meses de espera a sua prótese antiga ou uma prótese provisória.

O procedimento cirúrgico para a fixação de um implante é realizado em ambiente de consultório odontológico, sob anestesia local e geralmente sem qualquer tipo de dor. Os Clientes recebem a primeira medicação no final da cirurgia, ainda no consultório, para que, com o passar da anestesia, após duas a três horas do início do procedimento, o organismo já esteja sob efeito dos medicamentos, proporcionando conforto e segurança.

Enxertos ósseos para realização de Implates dentários

As pessoas que perderam um, parte ou todos os seus dentes com as extrações, passam, a partir desse momento, a sofrer de constante atrofia óssea (reabsorção). Ao longo de poucos meses o osso do local da extração perde de 30 a 70% de sua espessura e altura. Isso significa boca murcha, fala alterada, mastigação reduzida, expressão facial e sorriso limitado.

Porém, para se fazer um implante dentário, se o osso estiver atrofiado pode ficar tão fino que nem cabe um parafuso e aí passa a ser necessário aumentar o osso local com enxertos de osso. Apesar de serem rotina essas reconstruções ósseas em ambiente de consultório, e com resultados previsíveis, elas estendem o tempo do tratamento.

Os enxertos ósseos servem para devolver ao osso atrofiado um volume suficiente que possibilite a fixação do implante. Existem vários tipos de enxertos ósseos, porém os melhores resultados são alcançados com a utilização dos enxertos retirados do próprio Cliente (autógeno).


Dra. Marcia de Oliveira Cunha - Cirurgiã Dentista
Rua Santa Clara 50 - sala 604 – Copacabana – Rio de Janeiro