idoso sorrindoComo manter a saúde bucal na terceira idade?

Se você escova seus dentes de forma correta pelo menos três vezes ao dia, usa fio-dental e tem boa alimentação, independente da idade, você provavelmente terá dentes e gengivas saudáveis.

Isso não significa que você estará totalmente livre de cáries e problemas com a raiz dos dentes, por isso a consulta regular ao dentista para avaliações completas e limpezas é importante.

Na terceira idade os problemas com a saúde da boca são mais comuns: a sensibilidade aumenta, a boca fica mais seca, o esmalte dental já não é mais o mesmo. Assim como todo o organismo as estruturas orais também sofrem ação do envelhecimento, como por exemplo, as alterações na cor dos dentes, que ficam mais amarelados e escuros.

A maioria das pessoas optam pelo uso da dentadura, que pode resolver o problema estético, mas que exige cuidados especiais essenciais, principalmente quanto à higienização da prótese.

O idoso deve consultar um dentista para que avalie sua condição bucal, e no caso da "boca seca", sejam recomendados produtos que promovam bem estar. A saúde bucal é essencial para manter a qualidade de vida em todas as etapas da vida e é na terceira idade que os cuidados odontológicos se tornam importantes, pois tem a ver com o conforto, a socialização e a auto estima.

A melhor idade muitas vezes é acometida por diversos problemas, como a xerostomia (boca seca), cáries de raiz, problemas nas pontes/próteses totais, doenças periodontais, lesões da mucosa bucal (candidíases, leucoplasias, etc), câncer bucal, e por isto necessita de uma orientação especial.
 
A boca possui milhares de bactérias que ficam juntas e formam a chamada "Placa Bacteriana". A "Placa Bacteriana" é a principal causa de cáries e doenças periodontais.
 
Um dos fatores que podem causar a cárie, doenças periodontais e acentuar o desconforto bucal na terceira idade é a chamada "xerostomia" ("boca seca").

O ressecamento resultante da cavidade oral pode agravar outros sintomas, dentre eles alteração no paladar, sensação de ardência nos tecidos bucais inclusive a língua, rachaduras de lábios e fissuras na língua, que pode adquirir uma camada esbranquiçada responsável por uma halitose significativa.

A xerostomia, que é a diminuição da quantidade de saliva, é comum em quem toma muitos medicamentos, muitas vezes é responsável pela dificuldade de mastigação e deglutição. Esse efeito da boca seca pode ocorrer também no caso dos indivíduos que sofreram radioterapia em regiões próximas das glândulas salivares (cabeça e pescoço), uma diminuição do fluxo salivar ainda maior é observada e pode criar as cáries de radiação com uma exposição muito grande na região da raiz do dente, e por isto, é importante a participação dos dentistas antes dos tratamentos oncológicos iniciarem.

A sensação da boca seca é comum também em pacientes com diabetes, desidratação, deficiência nutricional, depressão, estado de ansiedade aguda, por isso é necessário um bom relacionamento entre o médico deste paciente e seu dentista. Havendo troca de informação, este paciente é tratado como um todo e a melhora do seu bem estar geral é mais rápida.

O idoso deve consultar um dentista para que avalie sua condição bucal, e no caso da "boca seca", sejam recomendados produtos que promovam bem estar.

CURIOSIDADES

  • Diabetes, problemas cardíacos e câncer podem afetar a saúde da sua boca. Se você tiver alguma dessas enfermidades, informe o seu dentista para que ele possa ter uma visão mais ampla do seu tratamento.
  • O stress, o tabagismo e alguns medicamentos influenciam em problemas gengivais.
  • A perda do apetite em idosos está relacionada ao uso de dentaduras. Isso acontece porque a eficiência na mordida diminui consideravelmente, comparado com aqueles que possuem dentes naturais.

Dra. Marcia de Oliveira Cunha - Cirurgiã Dentista
Rua Santa Clara 50 - sala 604 – Copacabana – Rio de Janeiro